TRILOGIA SANGUE E SORVETE

O ator Simon Pegg e o diretor Edgar Wright se uniram para lançar três filmes com humor negro, que contenham cenas com sangue e sorvete, daí o nome da trilogia (no original é The Cornetto Trilogy, onde cada sabor de sorvete representa o estilo do filme). 

Three Flavours Cornetto Trilogy

Enquanto os dois fariam o roteiro, Pegg seria o protagonista. Nos três filmes há cenas de morte, mutilações, tiros e alguma cena onde um sorvete do tipo Cornetto é saboreado. Outras particularidades são seguidas em cada filme. Nick Frost sempre é um coadjuvante importante como amigo de Simon Pegg, o que realmente é longe das câmeras. 

Papo de cinema

Martin Freeman, Bill Nighy, entre outros, fazem uma participação. E todas as histórias giram em torno da personalidade do protagonista, que é tirado de sua zona de conforto para analisar seu modo de pensar e viver, mesmo que para isso deva ocorrer uma invasão alienígena ou uma infestação de zumbis. Esses acontecimentos estranhos que cada filme possui são verdadeiras homenagens aos filmes que tratam desses assuntos, e o melhor, são ótimos filmes para assistir comendo pipoca. Divertidos, engraçados, com dosagem bem feita de ação, suspense e reflexão e mesmo tendo a violência bem destacada, não gera repulsa ou desconforto. Seguem abaixo os três filmes:

Todo Mundo Quase Morto (Shaun of the Dead) – 2004

Shaun (Pegg) é um vendedor de uma loja de eletrônicos, com uma vida simples, monótona e sem muitas expectativas, sempre com o amigo Ed (Frost), jogando videogame, bebendo, e está tendo problemas com sua namorada, uma garota ambiciosa que não aguenta mais ver o namorado sem vontade, fazendo sempre as mesmas coisas. 

Todo Mundo Quase Morto
Todo Mundo Quase Morto

Shaun não percebe ao certo quando um apocalipse zumbi tem início por ser tão ligado em seus afazeres rotineiros. Só depois que quase a vizinhança inteira se torna uma horda de mortos vivos é que ele se dá conta dos perigos que está correndo. Decide fugir de todo o caos com seu amigo, namorada, um casal de amigos, sua mãe e padrasto, mas o perigo está em todo o caminho. 

O legal é que Shaun vai revendo seus conceitos em relação à sua vida e à suas amizades e o que realmente vale a pena dar importância. Esse filme é a primeira comédia sobre zumbis que deu certo, recebendo um status cult e vários prêmios. A maneira engraçada e atrapalhada com que eles se defendem é o grande atributo do filme. Tem muita ação e humor negro. Dos três filmes com certeza o mais querido.

Chumbo Grosso (Hot Fuzz) – 2007

O investigador sargento super competente e incorruptível Nicholas Angel (Pegg) é um motivo de orgulho para a central policial de seu distrito, mas seus sucessos geram problemas para os demais. Na verdade ele é obcecado pela justiça e seu trabalho. Para resolver o problema ele é transferido à contra gosto para a pacata cidadezinha Sandford, onde o ambiente calmo causa descontentamento no agente.

Chumbo Grosso

Não demora a conhecer Danny (Frost), policial atrapalhado e beberrão, filho do xerife, totalmente diferente dele. 

A maneira como os problemas são resolvidos na cidade, com amizade e advertências, não fazem o perfil de Angel, e seus atos causam algumas inimizades, ainda mais quando ele começa a investigar uma série de assassinatos horrendos, tidos como acidentes, e sua única ajuda vem do atrapalhado Danny, sendo construída uma grande amizade. Mas todos são suspeitos na cidade, até seu novo amigo. Foi um filme que me surpreendeu, pela diversão, mistério e ação. Com várias participações especiais, o filme presta homenagem a filmes policiais.

Heróis de Ressaca (The World’s End) – 2012

A melhor época da vida de Gary King (Pegg) foi quando ele e seus amigos decidiram fazer um tour por todos os bares de sua cidade natal, um pub crawl, sendo que o último bar seria o pub chamado Fim do Mundo (que ajuda a dar o duplo sentido no título), mas eles não aguentaram a bebedeira e pararam no caminho, não sem antes prometerem efetuar a turnê no futuro. 

Herois de Ressaca
Heróis de Ressaca

Gary era o maioral, adorava essa vida e não percebeu quando o futuro chegou. Depois de 20 anos ele é o mesmo cara, enrolado em dívidas, sem trabalho, vivendo uma vida de adolescente que não foi compartilhada pelos seus amigos. Ele decide reunir novamente a turma, mas não contava que aqueles amigos agora eram pessoas totalmente diferentes, em especial Andrew (Frost), todo certinho e sério.

Quando se encontram eles percebem o quanto diferentes ficaram um do outro, e o que no começo parecia uma brincadeira de criança, começou a despertar neles discussões sobre o caminho que a vida de cada um tomou e as escolhas que fizeram, o que torna difícil conseguir chegar ao fim da maratona, que Gary fará de tudo para conseguir, sendo o único objetivo que ele parece ter em sua vida. 

Mas não é apenas o grupo de amigos que mudou. A cidade esconde um segredo que vai atrapalhar ainda mais Gary de concluir seu objetivo. Há uma reviravolta na metade do filme que me pegou de surpresa, realmente achei estranho o filme segurar a atenção só com a história da maratona da bebedeira, mas o título original de O fim do mundo tem muito mais a dizer do que apenas o nome do último bar do pub crawl

Como todos os demais filmes listados, uma análise da vida dos personagens nos dá a dica que não podemos ser tão certinhos ou estão incorretos. Alguns consideram o filme Paul de 2011 como o último filme dessa trilogia, mas por não ter sido dirigido por Edgar Wright e não conter características como as citadas acima, não faz parte dessa trilogia. É um filme legal, mas que ficará para um novo artigo. Corre que alguns desses filmes ainda estão no Netflix.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. AceitarMais informações