COLUNAS

Vou para o evento e não tenho onde ficar… E agora?

Ultimamente tenho reparado, não somente para os cosplayers mas também para os frequentadores em geral, uma dúvida que gira em torno de: quero ir para o evento e não tenho onde ficar, o que eu faço?

É claro que se você está indo para outro estado você vai ter que desembolsar um bom valor de dinheiro, dentro da sua conta terá que entrar alimentação, estadia, passagem aérea, custos de locomoção, entrada do evento, dinheiro para gastar dentro do evento e fora do evento.

Vou para o evento e não tenho onde ficar… e agora?

Turismo, independente do fim, nunca sai algo sempre muito acessível para todos. Mas acredite, sempre tem como economizar bastante em suas viagens!

Para isso vou te dar algumas dicas sobre estadia para quem mesmo que não tenha muito dinheiro possa economizar bastante em estadia! Vamos usar como base o evento Brasil Game Show que vai acontecer em São Paulo entre os dias 01 e 05 de Setembro, considerando assim 5 diárias.

Fique na casa de um amigo ou conhecido

Essa é a opção mais óbvia porque você praticamente não irá gastar nada, além disso ficar na casa de um amigo de trará outro benefício: você pode dispor de uma casa para cozinhar e gastar muito menos com comida.

Com certeza é a parte preferida de muitos viajantes, mas nem todo mundo tem conhecidos ou amigos em uma região e é ai que entrarmos com a importância desse post.

Fique em um hostel

Hostel é o nome bonito para Albergue, na língua portuguesa costumamos relacionar o albergue com um lugar sujo e cheio de pessoas dormindo uma em cima da outra. Gente, para! Não é bem assim, algumas diferenças básicas entre um HOTEL e HOSTEL são:

  • Hostels têm preços mais acessíveis;
  • Geralmente possuem um tratamento mais informal;
  • Normalmente têm áreas mais comuns entre todos e com oportunidades de socialização que os hotéis oferecem;

Para se diferenciar de albergues, os hostels geralmente possuem uma cara mais semelhante a de um hotel e, mesmo que etimologicamente signifiquem a mesma coisa, podemos separa algumas categorias de hostels (isso não é uma categorização formal, mas vou usar como referência):

  • Hostel: São hotéis mais baratos, acessível e informais ($$$);
  • Albergue: São casas ou hostels com quartos compartilhados entre vários hospedes ($);
  • Pensões: Geralmente são sobrados familiares que alugam quartos ($$);

Simplificando, mesmo que um hostel, albergue e pensão serem a mesma coisa eles se separam na hora de alugar. Como não é uma categorização formal, fique sempre de olho para alugar o lugar certo.

Quantos custa um hostel?

Se estamos pensando na categorização que fiz acima, um hostel pode variar desde um hostel local até uma rede de hoteis que, por possuírem algumas características, são definidos pelos frequentadores como hostel.

Usando como base a cidade de São Paulo (uma das cidades mais caras do Brasil) você consegue achar albergues com quartos compartilhados extremamente acessíveis. Como, por exemplo, no albergue Beats Hostel está custando R$160,00 (+taxas) uma cama em uma beliche em um quarto para seis pessoas nos 5 dias de estadia.

Em uma pensão você pode pagar um pouco mais caro, em um quarto compartilhado para 6 pessoas no Olah Hostel, localizado no bairro da Liberdade, está saindo R$200,00 (+taxas) as 5 diárias. Mas com a diferença que tem café da manhã incluído (vamos falar disso um pouquinho pra frente).

Agora se você quer privacidade, também consegue achar. A Pousada do Morumbi tem quartos individuais por R$500,00 (+taxas) as cinco diárias com café da manhã incluso.

Vale a pena ficar em um hostel?

Se você quer trocar o conforto por preço barato, com certeza. Um hostel/albergue/pensão é muito mais barato que hotéis, porém tem alguns fatores envolvidos:

  • Hospitalidade dos Moradores: Enquanto em um hotel você tem a quase garantia que será bem tratado você ficará a merce da sorte nos hostels, principalmente pensões, isso porque eles não possuem a organização de um hotel e, muitas vezes, são geridos pelos proprietários do local (como uma dona de casa que aluga seus quartos, por exemplo)
  • Segurança: Enquanto em um hotel se algum item sumir você poderá contar com câmeras de segurança, seguranças particulares do hotel e um reembolso (mesmo que as vezes seja preciso um certo barraco) enquanto em um hostel muitas vezes se te roubarem, já era. Culpa sua que não colocou cadeado no seu armário.
  • Espaço: Principalmente para cosplayers, se você tem um quarto compartilhado com vários pessoas, logicamente você terá menos espaços para guardar suas coisas, então se você tem uma armadura enorme e armas talvez não consiga acomodar todos seus itens, nesses casos sempre é recomendado que caso prefira ficar em um hostel, prefira pelos quartos individuais.

Casas compartilhadas

Esse é o item que me incentivou a escrever esse artigo

Estamos vivendo em uma época tecnológico maravilhosa que permite um avanço do que chamamos de economia compartilhada.

Resumindo ao máximo para simplificar o conceito: na economia compartilhada a filosofia é você possuir menos bens e compartilhar os que possui, na prática, o que isso significa?

Significa que no lugar de adquirirmos diversas poses (materiais ou serviços) dividimos as que possuímos em troca de dinheiro ou de algo que possuímos. No Brasil essa filosofia ainda está se fortalecendo, mas principalmente em alguns países europeus a geração Y sequer mais aluga casas, existem casos de pessoas que em troca de moradia ensinam matemática, ou uma pessoa que em troca de aulas de piano oferece um jantar. Basicamente, é uma “simbiose humana.”

Mas na prática, como podemos aplicar isso no Brasil?

Já existem aplicativos/sites grandes como o Airbnb onde alguém que tem uma casa (chamado anfitrião) aluga temporariamente um quarto ou cama para um hóspede. Mas no que isso é bom? Você tem um morador de São Paulo que, muitas vezes, vai estar disposto a te mostrar a cidade, te ensinar as melhores rotas (e, principalmente, as que não deve ir). Além disso tem uma casa onde pode cozinhar e gastar menos dinheiro. É como ir para a casa de um amigo.

Claro, sempre deverá tomar cuidados, antes de alugar o quarto conheça a pessoa e evitar entrar em algum golpe. Mesmo que esses casos ainda não sejam comuns, o cuidado sempre é importante, leia as recomendações de outros hospedes e procure saber com eles como foi ficar na casa dessa pessoa.

Quantos custa compartilhar uma casa?

Aqui entram de novo as variantes, você pode alugar desde uma casa inteira até um sofá. Sabe quando essa opção é maravilhosa? Quando você tem pelo menos mais dois amigos que também moram longe e também vão para o evento, vocês podem pegar uma casa inteira para vocês e dividir o valor ;). Então vamos pensar nos preços de uma casa inteira:

  • A anfitriã Vanessa tem um lindo apartamento perto do Parque do Ibirapuera que acomodam três pessoas, os 5 dias ficam R$963,00 (+taxas), logo, R$321,00 para cada pessoa.
  • O anfitrião Flávio Henrique tem um apartamento perto da Paulista no valor de R$1435,00 5 diárias (+taxas) para 4 pessoas. Ficando cerca de R$359,00 por pessoa.
  • É um grupão de gente? O Silvio tem um apartamento no Morumbi com 4 quartos para 6 pessoas no valor de R$2243,00 (+taxas), ou seja, R$280,00 por pessoa.

Não tenho ninguém para compartilhar uma casa comigo

Sem problemas, a economia compartilhada também te ajuda. No mesmo molde das pensões, mas com um ambiente bem menos formal. Você pode pegar um quarto individual na Vila Madalena por R$263,00 (+ taxas) ou se prefere mais luxo tem até no Jardins (um dos bairros mais caros de São Paulo) por R$615,00 (+ taxas).

Mais economia? Você pode compartilhar um quarto no centro por R$228,00 (+ taxas) ou perto da Avenida Paulista por R$348,00 (+ taxas).

Fique em um Hotel

Se o seu negócio é conforto, individualidade e segurança garantida desembolse um pouco mais e fique em hotel. Mas o que muitas pessoas não sabem é que não precisa pagar uma quantia absurda por um hotel, principalmente os eventos de grande porte como a Brasil Game Show costumam fazer parcerias com hotéis para dar descontos para os visitantes.

Lembrando que para a BGS existem tantos hotéis quando hostels dentro da parceria. Destaque principalmente para quem pode gastar mais para o hotel de 3 estrelas Comfort Downtown (4 noites por R$780,00 + taxas) e para o 4 estrelas Quality Suites Vila Olimpia (4 noites por R$960,00 + taxas)

Diconas e links

Como percebeu não faltam opções: desde as mais baratas até as mais caras, porém sempre economizando em todas. Mas lembre-se que nem sempre o menor valor é a única variante, então pense também nesses aspectos na hora de escolher o lugar que irá ficar:

  • Sinta-se confortável: você ficará dias nesse lugar, às vezes ficar na casa de um amigo pode gerar conflitos;
  • Localização: sempre pense na localização do lugar que está ficando e escolha sempre os próximos ao evento, no dia que estou escrevendo esse artigo a passagem é de R$3,80. Os eventos geralmente oferecem o transporte a partir do metrô, se você precisar pegar um ônibus até o metrô adicione R$7,60 por dia, ou seja 5 dias de evento são R$38,00 a mais!
  • Ainda sobre localização: Se vai ficar perto de um metrô, prefira um lugar que tenha menos baldeações ou o mais próximo possível do evento, você vai estar cansado e as vezes vale pagar um pouco mais para ter o conforto de descansar.
  • Alimentação: Nas padarias mais vagabundas de São Paulo você paga R$5,00 em um café puro com uma coxinha. Isso dá R$25,00, então dê prioridade para hoteis/hostel/albergues/pensões que ofereçam café da manhã. Essa alimentação vai te manter no evento e te impedir de gastar mais do que deveria (além de até em albergues e pensões serem melhor que um café e um pão).

Três lugares ótimos de referência para preços: para casas compartilhadas o Airbnb, para hotéis/hostels/albergues o Booking e o Tripadvisor, além do Trivago.

Gostou das dicas? Quais mais daria para quem está querendo viajar para o evento? Deixem seus comentários.

Avalie

Facebook Comentários


Receba novidades no seu email:

Delivered by FeedBurner

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *