Cospin com Jaqueline Fernandes, vencedora do concurso cosplay da CCXP 2016!

  • Nós te acompanhamos muito nas mídias sociais e adoramos suas publicações, para quem ainda não te conhece conta pra gente um pouco da sua vida cosplay, faz quando tempo que é cosplayer? Quais foram as experiências que viveu com isso?
    Eu já sou cosplayer a muito tempo, mas desde 2012, junto com o Samui, nos empenhamos totalmente para concursos. Ir em eventos, tirar fotos não era o bastante,queríamos participar de todos os concursos famosos que antes só assistíamos e então começamos. Hoje eu sou a vencedora do YCC que é o concurso nacional de cosplays de 2016, vou representar o Brasil no YCC internacional 2017 que acontecerá no Anime Friends,venci o concurso da CCXP de 2016 onde o premio era um carro, já participei de vídeos e eventos pela Riot games e já venci muitos outros concursos menores e logo isso me deu experiência o bastante para ser convidada para julgar inúmeros concurso e dar palestras.

 

  • Ano passado o Samui foi o vencedor do concurso da CCXP e esse ano você ganhou! Como foi a experiência de participar do concurso e levar o prêmio?
    Desde a primeira vez que participei do concurso da CCXP eu achei que não tinha dado o máximo de mim,então quis voltar e fazer o meu melhor,mas no dia tanta coisa deu errado! As leds queimaram, a cordinha que eu puxava para abrir as asas do meu cosplay quebrou na hora da apresentação, além do palco ser muito pequeno!Foi tão frustrante, pela segunda vez que quando eu sai do palco eu chorei, então foi uma grande surpresa feliz quando eu venci e quando os juízes chegaram até mim e elogiaram o cosplay e a apresentação sem ter ao menos percebido que algo tinha dado errado.
    No final tudo valeu a pena.

jaqueline fernandes

  • Como todos os eventos a CCXP ainda enfrenta algumas dificuldades principalmente no meio cosplay em questão de se organizador com algumas informações e comunicação, quais foram os pontos positivos e negativos na sua opinião?
    Esse ano o concurso da CCXP estava bem mais organizado, recebemos as informações certinhas e antecipadamente de como tudo funcionaria no dia! Ficamos sabendo quais seriam os juízes antecipadamente, tivemos uma reunião no dia para darmos opiniões sobre o concurso. Todos da coordenação foram simpáticos e muito prestativos! O pessoal da JBC está de nota 10. Além disso, os juízes da seletiva, que não eram os mesmo da final, puderam nos dar um feedback para nos ajudar a melhorar para a final, o que foi muito bom. Todos os concurso deveriam fazer isso.l
    Agora os pontos negativos continua sendo a estrutura, um evento desse porte, que quer ter um concurso grande, deveria ter consciência que o palco de 2,30m de largura não faz jus. Teve um participante que chegou a cair do palco na hora de sua apresentação! Ele poderia ter se machucado. Ai você pode pensar que o cosplayer aceitou as condições, então responsabilidade dele,mas o palco só é mostrado pra nós no dia, quando já chegamos lá com tudo. Além de fatores como telão e muitas regras que limitam a criatividade e a capacidade máxima do cosplayer! Falta pouco para a CCXP ter o melhor concurso, pois já tem o maior premio dado até hoje em qualquer concurso no Brasil e espero que eles se tornem o melhor.

  • Hoje o mundo cosplayer encontra novas portas principalmente no meio virtual com a popularização da internet e alguns cosplayer em outros países já estão conseguindo montar uma carreira considerável em cima disso. Como você vê o futuro dos cosplayer daqui uns 10 anos?
    Sinceramente eu acho que os cosplayers internacionais estão muito mais avançados e continuarão daqui a 10 anos do que nós brasileiros, pois a desunião no meio é tão grande que não nos permite evoluir. Tem tantos eventos que se nos uníssemos para pedir melhorias, com certeza elas aconteceriam, mas isso não acontece!Tem tantos eventos melhorando, mas ninguém participando! Eles convidam cosplayers para dar palestras, mas na hora aparece quase nenhum cosplayer para assistir e dar apoio. Pra que irão continuar convidando cosplayers se eles não chamam publico? Sendo que podemos aprender tanto em palestras!
    Tem tantas formas de um cosplayer ganhar dinheiro como, por exemplo, o patreon,que é mais bem visto la fora do que aqui. Venda de fotos é bem maior lá fora.
    Nunca aqui no Brasil cobrar por um meet & greet de um cosplayer nacional é viável, porque pouquíssimos iriam aceitar e isso mostra que a grande desvalorização que sofremos não é só fora do meio.

foto3

  • O que você diria para alguém que está querendo começar a fazer cosplay?
    Que comece logo!Para ser cosplayer,não é preciso participar de concurso, só é preciso se dedicar e fazer o que gosta! Cosplay é uma diversão pessoal. Vai ter umas pessoas que vão criticar o que você faz? Vai sim, mas terá mais pessoas ainda que irão te apoiar e admirar o seu trabalho.
  • Nas suas experiências em concursos cosplay como você encara a competição na hora do palco?Hoje em dia eu encaro os concursos com muito mais seriedade, pois concursos grandes exigem muito de quem quer participar! Até os mínimos detalhes são vistos pelos juízes e os 0,05 de nota fazem a diferença, então é preciso foco e dedicação e isso eu tive que aprender a ter. No dia do concurso eu o Samui e meu irmão Gerson que sempre está conosco, tentamos continuar focados para as pequenas surpresas que podem acontecer então muitas pessoas podem pensar que somos distantes, mas só com foco podemos obter bons resultados e crescer. Eu adoro concursos exatamente por causa dessa exigência que nos faz evoluir.Sem ninguém para “cobrar” excelência, qualidade e melhorias eu já teria parado de fazer cosplay por tédio.

foto1

  • Se você tivesse o poder de organizar uma competição cosplayer, o que faria de diferente do que normalmente é feito hoje?
    Cada concurso tem suas vantagens e desvantagens e temos que aprender a se adaptar ao que é pedido, mas se eu pudesse melhorar algo que fosse diferente do normal,seria dar mais liberdade a criatividade do cosplayer. Seria permitido liquido,fogo,muitos staffs, prender coisas na estrutura do palco. Pular do palco! Começar a apresentação de onde quisesse! Não teria limite de cenário no palco. Tudo, é claro, conversado antecipadamente com a coordenação, para que ambos adequassem ao que o evento suporta, em questão de tamanho e também para cortar os que só querem zoar. Seria um verdadeiro show e com certeza,sanaria a vontade de todos de ver coisas novas.
    Ai você pensa: água?Fogo? Sim, isso mesmo! Às vezes o cosplayer só quer fazer uma cena dramática onde você joga um copo de água na cara do seu parceiro,mas não pode, tem que colocar papel picado no copo pra fazer o efeito de água ou, vai acender um bastão de fumaça colorida (o que não pode tb,mas eu queria) com um isqueiro e não se pode. Pra mim essas limitações torna o cosplay algo muito amador, tipo peça de crianças de quinta serie e que só mudanças drásticas na minha opinião melhoraria.

você pode gostar também Mais do autor