Boku Dake ga Inai Machi será o melhor anime de 2016?

Boku Dake ga Inai Machi (Boku Machi) / ERASED © Taku Kishimoto | A-1 Pictures
Boku Dake ga Inai Machi (Boku Machi) / ERASED © Taku Kishimoto | A-1 Pictures

Título: Boku Dake ga Inai Machi
Alternativos: ERASED; A Cidade Onde Apenas Eu Não Existo; Boku Machi
Gênero: Mistério, Sobrenatural, Psicológico, Seinen [Adulto]
Produção: Aniplex, Dentsu, Kadokawa Shoten, Fuji TV, DAX Production
Diretor: Tomohiko Itou
Data de estreia: 08 de Janeiro de 2016
Data de término: 25 de Março de 2016
Exibição: Diversas emissoras de TV do Japão.
Stream: Crunchyroll
Número de episódios: 12
Website Official: BokuMachi Anime e Twitter Oficial

Boku Dake ga Inai Machi (Boku Machi) ou ERASED é um anime lançado este ano que conseguiu alcançar a marca de um dos 10 melhores animes já feito de acordo com o site My Anime List. Mas será que ele é realmente tão bom assim?

[wp-review id=””]

 

 

Viagem temporal para salvar alguém que você gosta definitivamente não é nenhuma novidade no mundo dos animes já que grandes títulos como Madoka Magica e Steins; Gate usam e abusam desse recurso, isso sem falar em filmes famosos como O Efeito Borboleta. Boku Machi infelizmente não é “original” nisso, porém a narrativa da história é extremamente envolvente e a forma que a viagem temporal ocorre no anime consegue ser muito bem trabalhada sem a necessidade do apelo no desespero do personagem em ficar preso em loopings eternos de viagens. Os primeiros episódios da série te prendem de uma forma que, mesmo com poucos eventos ocorrendo, você se envolve a ponto de querer ver mais e mais episódios sem parar, o único real problema é o fato do vilão ser exatamente o suspeito principal da série o que faz com que o mistério e o suspense sejam quase inexistentes.

Uma animação com cores suaves e muito bem detalhada é um dos maiores diferenciais de Boku Machi, nada que não fosse esperado de um dos maiores estúdios de animação japoneses que é a A-1 Pictures (responsável pela animação de títulos como Sword Art Online (SAO), Ano Hana e Kuroshitsuji), mas algo que faz com que ele se destaque em relação a maior parte dos animes é o fato de não precisar apelar para recursos ecchis, muito sangue, robos gigantes, brigas de gênios ou qualquer outros que estamos acostumados a ver na maior parte dos animes lançados, e como já foi dito, mesmo o recurso principal do anime de viagem temporal não é sobrecarregado de clichês.

Boku Dake ga Inai Machi (Boku Machi) / ERASED
Boku Dake ga Inai Machi (Boku Machi) / ERASED

A forma como o personagem principal Satoru Fujinuma é trabalhado é um pouco estranha, certas ações dele como fugir da polícia depois de presenciar uma cena de crime é no mínimo burrice, mesmo assim esse aspecto “ingênuo” é que faz com que ele seja um personagem interessante de se acompanhar, porém também faz com que seja complicado de se “gostar” dele, a mania que ele tem de falar em voz alta o que pensa é algo que muitas vezes é engraçado e a forma como tenta manter as suas relações com seus colegas enquanto criança na volta no tempo, mesmo tendo a mente de um adulto de 29 anos, é bem incomum e isso definitivamente é uma das coisas que fazem com que Satoru seja diferente de qualquer outro tipo de personagem que seria colocado nessa situação. Outros personagens importantes como Sachiko, a mãe de Satoru, Airi e principalmente o seu amigo Kenya tem atitudes um tanto quanto exageradas em sua relação com Satoru, pois independente das ações inconsequentes dele todos os personagens são convenientemente úteis de mais, tornando eles personagens de suporte um pouco forçados, para balancear isso a personagem Kayo é o melhor trabalhado na história, com seus problemas na família e consequentemente na socialização na escola, além de uma personalidade forte fazem dela alguém que com certeza você se apega com facilidade (o que se espera de um personagem principal em qualquer historia).

Boku Dake ga Inai Machi (Boku Machi) / ERASED
Boku Dake ga Inai Machi (Boku Machi) / ERASED

É algo maravilhoso ouvir novamente um tema de abertura da banda Asian Kung-fu Generation (responsável por temas incríveis de animes famosos como Haruka Kanata de Naruto, Rewrite de Full Metal Alchemist e After Dark de Bleach) a abertura da série (OP) Re:Re: da banda é muito bem feita, com exceção do episódio 11 em que eles tentaram usar o recurso de retirar o personagem principal da abertura e não deu muito certo. Já o encerramento (ED) Sore wa Chiisana Hikari no Youna da cantora Youna tem uma excelente animação, além de ser uma ótima música que combina perfeitamente com o ritmo da série.

Boku Machi é um anime que mesmo sendo um suspense previsível com um final não tão marcante, consegue se destacar não só por uma ótima animação e trilha sonora, mas também por uma história bem contada e envolvente com alguns personagens que com certeza eu não irei esquecer mesmo que seja apenas por uma atitude no anime inteiro como foi o caso da Sachiko cuidando dele por 15 anos, o que facilmente dá a ela o título de uma das melhores mães de todos os tempos.

Boku Dake ga Inai Machi (Boku Machi) / ERASED
Boku Dake ga Inai Machi (Boku Machi) / ERASED

Tudo isso faz com que ele não seja tudo isso para ser considerado o melhor anime de 2016, já que ainda temos ótimos títulos a serem lançados esse ano como os já anunciados títulos da próxima temporada Boku no Hero Academia; Koutetsujou no Kabaneri; Bungou Stray Dogs; Sakamoto desu ga? e Gyakuten Saiban: Sono “Shinjitsu”, Igi Ari!. E vocês o que acham de Boku Machi?

você pode gostar também Mais do autor